Livros e Livros


Falando em livros...
Hoje vim contar pra vocês um pouquinho da minha paixão, os livros!

“Ah Ari, você só gosta de filmes românticos, e historinhas água com açúcar.”
E daí? Hahaha Se não tivessem pessoas que gostassem desses tipos de livros, eles não existiriam.

Não vou conseguir lembrar-se de todos os livros que já li. Mas citarei os últimos como indicação a todas as meninas, e meninos também que queiram ler um bom e emocionante livro.
Querido John, pra sempre será o livro que eu mais chorei (risos).
Ele busca dentro de historias, que você sinta realmente o que o autor quer passar. Tornando-te dependente da vida de John e Savanna. Juro que quero ler ele mais umas 100 vezes só pra lembrar cada palavra que eles dizem. Sua vivencia com o pai, é extremamente emocionante e quando se inicia não se quer parar. Afinal, aquela frase que não existe alguém que não tenha escutado vem de La: “Afinal o que é verdadeiro volta? Não. O que é verdadeiro não vai, o que é verdadeiro, permanece”.




A última música, sim eu sou apaixonada por esse livro. Se eu pudesse entraria dentro dele pra fazer as coisas se arrumarem.
É uma expectativa do começo ao final. E você se envolve totalmente com a personagem que era extremamente louca, e assim como todos os livros românticos se apaixona. Vem ai uma frase, que apesar de curta, me fez encher os olhos ao ler a primeira vez: “ Mesmo sabendo que um dia a vida acaba, a gente nunca ta preparado pra perder alguém”.
Penúltimo livro que li foi Não se apega não da Isabela Freitas.
Preciso conseguir em algum recital dela só pra dizer: Caramba você arraza.
Comecei ler o livro em uma fase diferente da que estou hoje. Mas me incentivou muito!
O livro realmente faz mutio bem e abre os olhos da chamada “dependencia de ter alguém” que na qual já citei no post -> Sendo Feliz Sozinha - Ari Balbino.
Mas em fim, gosto de uma frase que a Isa (olha a intimidade) cita, que fala assim “Coração feito de vidro, olha quebra, ora corta”.
E em fim o ultimo. Tudo bem tudo bem, pra quem nunca havia ouvido falar, que é bem difícil (porem pra mim não era) no O Pequeno Principe, pensa que o livro é infantil, sem graça e bobinho.
Diz o autor que essa era a expectativa fazer um livro infantil de algumas paginas, com grandes ilustrações e que a criança poderia ler em sequer 30 minutinhos.
A historia virou e todos começaram a falar do livro, tanto jovens quanto adultos e laiá idades.
O livrinho é maravilhoso e conta a história de um menininho que era diferente de todos, e com sua meia inocência faz com que as coisas que ele faz nos encantem. Eu não conhecia o livro, só pensei em ler quando vi na cacau show uma caixinha de bombom dele com estrelinhas grudadas em cima. Obs.: me encantei com o doce, e fui conhecer o livro hahaha.
LEIAM !!
Como diz o Pequeno Príncipe: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos.”


Beijos gente e até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário